sexta-feira, 19 de abril de 2013

Dream Catchers

Boa noite!



Finalmente, estou em meus aposentos, jantamos todos juntos, família reunida nada melhor que isso. Amanhã bem cedinho vou a uma feira hippie, fiquei muito feliz pois eu amo essas coisas e lá na minha cidadezinha não tem. Bom minha alegria maior é que vou comprar meu Filtro dos sonhos. E minha Tia começou a perguntar o que é isso, para que serve, e etc e tal e blá blá blá blá... Pensando nisso resolvi vim postar para vocês, pois é algo comum isso, eles estão na moda, e todo mundo usa. Mas você já parou pra pensar... Para o que eles servem? Qual sua origem? e por aí se vão as duvidas. Fiz uma pesquisa para facilitar e resumi...


'' A história dos dream catchers
Os sonhos desempenhavam um papel fundamental na vida dos Ojibwe. Para este povo que vivia na região dos Grandes Lagos americanos e que hoje também se espalha por outras regiões do Novo México, aprender a decifrar as mensagens reveladas nos sonhos era a tarefa mais importante que as pessoas tinham durante sua passagem pela Terra. Por causa disto, o dream catcher era uma ferramenta essencial.

O filtro de sonhos, como ficou conhecido em português, na verdade, não é um filtro, é uma teia. Os Ojibwe acreditam que, quando a noite cai, o ar se enche de sonhos, bons e ruins. Alguns destes sonhos, mesmo sendo pesadelos, podem conter uma mensagem importante do Grande Espírito para nós. Então, na verdade, estes sonhos são bons sonhos. Mas existem muitos outros sonhos e energias ruins flutuando à nossa volta e que não são nossos. Estes é que podem nos fazer mal. É justamente para separar estes sonhos e energias ruins que existem os dream catchers. 

A tradição manda que as teias coloridas sejam penduradas sobre o berço dos bebês e a caminha das crianças. Os sonhos bons, sabendo exatamente aonde ir, conseguem passar pelo buraco central da teia, ao passo que os sonhos ruins ficam perdidos e acabam presos nos fios. Quando os primeiros raios de sol surgem, os sonhos maus desaparecem. Os círculos são feitos com ramos flexíveis de salgueiros e revestidos com tiras de couro. 

Uma pena é colocada no centro, representando o ar ou a respiração, essencial para a vida. O bebê, observando a pena dançar ao vento, aprende uma lição sobre a importância do ar. Além disto, a pena de coruja, feminina, simboliza a sabedoria. A pena de águia, masculina, serve para dar coragem. '' 

Mais informações http://somostodosum.ig.com.br/conteudo/conteudo.asp?id=05394

Nenhum comentário:

Postar um comentário